sábado, 25 de julho de 2015

Mano Down: Relatos de um irmão apaixonado


Pai de Laura, de um ano e sete meses, e tio de David, de cinco anos, o engenheiro de Meio Ambiente Leonardo Gontijo (foto) exercita, na bike, o lado bom de sua profissão.

Todo final de semana, geralmente com Laura e a outra filha, Eduarda, de 4 anos, ele pedala pelo Parque da Barragem, que as meninas amam. As duas, aliás, andam de bicicleta desde os três meses, quando conseguiram se manter sentadas no banquinho acoplado à bike.

No domingo, Eduarda deu a vez a David, o primo que mora em Brasília e que se encantou em curtir o Parque sobre duas rodas.

Mas não só de pedaladas vive Leonardo. Irmão do músico Eduardo Gontijo, o Dudu do Cavaco, que tem Síndrome de Down, ele é não somente um entusiasta, mas um militante dedicado da causa das pessoas com deficiência.

Autor do livro Mano Down: Relatos de um irmão apaixonado, Leonardo emociona com a história real de amor entre dois irmãos especiais: ele e Eduardo. Lançado em 2012, o livro, com 188 página, já está em sua 2ª edição.

Do livro, nasceu o Projeto Mano Down. “O objetivo foi dar maior autonomia a Dudu, para que ele pudesse exercer um controle cada vez maior sobre sua vida e demonstrar todo seu talento artístico e capacidade musical”, conta Leonardo.

O projeto cresceu e, atualmente, vem mudando não somente a vida de Eduardo, mas de várias pessoas com deficiência.

“Sabemos que a invisibilidade social imprime um tipo de sofrimento que fere o cerne da dignidade humana. Mesmo que muitas pessoas com deficiência já participem do mercado de trabalho ou tenham uma vida ativa em outras áreas sociais, pensamos que uma parte da existência deles clama um lugar de maior expressão e participação”, explica o engenheiro.

No site http://www.manodown.com.br/ Leonardo destaca que o grupo pretende minimizar a invisibilidade social para que as pessoas com Down e outros deficientes tenham liberdade para dirigir a própria vida, fazer suas próprias escolhas.

“Queremos que Dudu e outras pessoas com Down sejam reconhecidos e possam exercer uma profissão com dignidade", ressalta.

Para Leonardo, a inclusão somente acontecerá de fato quando a sociedade aceitar as diferenças inerentes aos seres humanos de forma igualitária.

Para Leonardo, a nova lei de inclusão, sancionada neste mês pela presidente Dilma Rousseff, trouxe avanços, mas ainda deixa muito a desejar.

Com o apoio do senador Romário, um dos mais famosos militantes da causa, a tentativa, segundo ele, é derrubar o veto da presidente. (Post Tetê Rios)

Um comentário:

  1. Que historia bacana! Essa Barragem e tudo de bom!

    ResponderExcluir